O miojo nosso de cada dia (parte II)


Assim como esse vídeo teve uma pequena colaboração do texto “O miojo nosso de cada dia” escrito aqui no Sozinho Comigo por Daniel Vale, esse poste vem com o vídeo ” Mãe cansei de pizza #2 – O miojo nosso de cada dia” por GuhsHorn produções

Vejam como colocar em prática as principais receitas de miojo do Sozinho Comigo.

Depois do vídeo da uma passada no canal da GusHorn Produções em: http://www.youtube.com/user/GuguHorn

@jorgecavalcante

 

 

Anúncios

Receita? Despesas? O que são essas coisas?


Primeiro emprego, primeira conta bancária e a necessidade de administrar suas finanças. Parabéns, esses são os primeiros passos da sua independência financeira. Agora, para que a trajetória seja segura, é importante estruturar muito bem seu orçamento.

A tarefa não é tão complicada como muitos imaginam. A dúvida mais comum é por onde começar: pelo que você ganha (receita) ou pelo que gasta (despesas)?

Se, ao responder, você optou pelas despesas, por considerá-las as vilãs de qualquer orçamento, errou! O motivo é simples: sua realidade financeira deve ser guiada pelo valor que você tem disponível: sua renda. Esse é o ponto de partida para adaptar seu padrão de consumo.

Quanto exatamente você ganha?

Primeiro, procure entender exatamente quanto recebe, para tentar determinar quanto pode gastar.

É importante considerar como receita apenas o valor líquido do seu salário, e não o bruto. Você sabe a diferença?

Pois bem: suponha que o seu salário atual bruto seja R$ 2.000,00. Para o seu orçamento você não pode considerar este valor, mas sim o valor líquido que você vê em seu holerite, depois de descontados a contribuição ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), o Imposto de Renda e outros (faltas, atrasos, vale-transporte etc.).

Procure ser o mais realista possível na hora de compor o seu orçamento. Todas as informações, relacionadas de forma clara, lhe ajudarão a compor um cenário mais claro para suas finanças!

“Engorde” sua receita!

Isso não significa que você deva aceitar as receitas de hoje como o valor máximo que pode contar mensalmente. Investir em educação e treinamento pode ser uma alternativa interessante para ampliar seus ganhos no futuro. Além disso, nunca se esqueça de que pode ganhar uma “graninha extra” desempenhando outras atividades em paralelo.

Sendo criativo, um hobby pode se tornar fonte de renda! O dom para a culinária, a produção de bijuteria ou mesmo algumas aulas particulares na sua disciplina favorita podem ajudar no seu bolso. Aulas de música, dança ou mesmo cuidar do bebê da vizinha. Vale tudo!

Você sabe controlar sua renda?

Você deve incluir todas as fontes disponíveis aqui: salário, rendimento com aplicações, ajuda dos pais, “bicos” etc.

Lembre-se de selecionar quais são suas fontes de receita fixa (que você recebe todo mês) e quais são variáveis (recebe esporadicamente, sem conseguir prever muito).

Geralmente, quem trabalha com remuneração fixa consegue montar um orçamento com maior facilidade do que o trabalhador com receita variável (quem depende de comissões, bonificações etc.), pois tem condições de relacionar exatamente seus ganhos.

Portanto, se você tem intenção de trabalhar um dia como autônomo, atenção: é bom aprender o quanto antes a lidar com seu dinheiro! Quem vive com remuneração variável sabe como é fundamental para o bolso monitorar de perto as receitas. A falta de controle no orçamento é um dos principais motivos para o planejamento financeiro deficiente. Pense nisso e previna-se!

 

Fique atento, em breve volto com mais dicas úteis para sua finanças.

@jorgecavalcante

FONTE: http://www.financaspraticas.com.br

http://revista.vericia.com/tag/morar-sozinho/