Mudança – A aventurar de morar só!


Uma bela manhã de sol na cidade de São Paulo, era Agosto de 2011 quando em um domingo de manhã meu vizinho chega e diz: “Jorge, o proprietário da casa deixou essa correspondência para você”.

Na tal carta estava escrito:

“Eu Jorge……. RG …….. CPF…….. endereço e tal…… não manifesto interesse em comprar esse imóvel, na ocasião deixo o proprietário livre para vender, trocar e negociar de qualquer forma desejada.

Não tive chance de escolha, a carta já falava o que ele queria ouvir e não o que eu queria falar! O certo é que depois de assinado e informado a data tinha noventa dias para sair.

Até assinar já era setembro e o proprietário me deu até Janeiro para sair de casa.

Começa a maratona.

Em apenas uma semana eu já estava engatilhando a carta de locação de uma nova casa, agora um apartamento próximo ao trabalho.

Foi quando em Outubro eu mudei para o novo endereço ai a coisa fica feia.

Morar só e ter que mudar é uma das piores coisas que pode acontecer quando você não espera. Dinheiro no novo contrato, dinheiro para mudança, dinheiro para novos móveis e utensílios de casa. Não sei o que acontece mais enquanto estamos na casa velha não falta nada e quando vamos mudar aparecem coisas que você não via há anos e ao arrumar na casa nova você tem que comprar coisas que não precisava e agora não consegue viver sem.

O bom é que agora esta tudo certo, já estou a dois meses na casa nova e as coisas começam a encontrar seu lugar. Morando a dois minutos do trabalho a pé!

Que assim seja a nova vida.

CASA DE SOLTEIRO


Saí do interior de Minas aos 16 anos e fui morar sozinha em BH, em Lourdes, onde a vida era essa: “subir Bahia, descer Floresta”. O André (que não é o marido) morava sozinho no prédio paralelo e a gente estudava no mesmo colégio, o Pitágoras. Nos odiávamos um pouco no começo, mas acabamos tão amigos que nossas vidas acabaram também acontecendo em paralelo.

Ele morava no pior apartamento de solteiro que eu já conheci. E olha que tinha dois quartos, umas fotos belíssimas na parede, uns móveis de design interessante, e uma cadeira butterfly no quarto. Mas nada disso impedia o nojo que eu tinha do banheiro dele. Se eu tivesse que lavar as mãos lá, eu secava com papel higiênico, porque toalhas limpas não existiam naquele universo. Ele também esquecia sempre de trocar os lençóis, me lembrando infinitamente daquela frase (que eu não me lembro de quem é): “Detesto trabalho doméstico. Você troca os lençóis e, seis meses depois, tem que trocar tudo de novo.

Então um dia desses vi uma matéria no Apartment Therapy e me deu um click. Lembrando dessas coisas, bem que posso dar dicas pros leitores solteiros impressionarem suas visitas. Bem, um cara não precisa ser metrossexual pra querer impressionar alguém com o seu apartamento bacana. (Tenho ojeriza da palavra “metrossexual”, que pra mim só define o David Beckham. Mais ninguém. Graças a Deus.) Se o moçoilo lê o De(coeur)ação, no mínimo tem uma certa preocupação estética.

Então vou dar uma mãozinha pros meninos bacanas, leitores do blog, e dar dicas muito básicas do que fazer/ter para impressionar quem visita o seu ap pela primeira vez. Seja a visita alguém que se quer bem, seja a visita alguém que se quer melhor ainda.

1. Papel higiênico macio. Deus nos livre daquele papel cinza. Lixa é pra madeira, baby.

2. Banheiro limpo. É difícil, eu sei. Mas pelo menos varrido.

3. Toalha de rosto limpa. De preferência macia, mas limpa já está ótimo. Dá pra comprar online direto da Teka. E nas Americanas.

4. Água potável gelada. Se sua geladeira só tem aquela garrafa que você bebe no gargalo, náh. Ninguém merece água babada. Deixe a saliva pra trocar no beijo. Compre pelo menos 1 garrafa decente (no supermercado mesmo, se quiser), com tampa e troque a água dela no dia da visita. Garrafa da foto, uns R$40 na Departamentos. Ou segue a dica da Carola e compra uma garrafa parecida com essa, da água Lorina por R$15 no Carrefour.

5. Espelho do banheiro limpo. Dica básica: espelhos se limpam muito bem com jornal. É só pegar um pedaço de jornal seco e esfregar que as manchas de sujeira desaparecem. Nada mais nojento que manchas de pasta de dente no espelho do banheiro.

6. Meia-luz. Seja no quarto, seja na sala, meia luz ajuda a criar um clima. Tenha uma luminária, pelo menos. Você pode até usar um pisca-pisca baratinho pra fazer um efeito.

7. Lençóis limpos. Não precisam ser combinados. Mas têm que ser limpos. E macios de preferência.

8. Cinzeiro. Este é controverso. Nenhum de vocês dois fumam, e são contra, etc. Mesmo assim ainda é interessante ter um cinzeiro. Pra ter onde jogar fora o chiclete, por exemplo. E se você fuma, vai lá e compre um cinzeiro decente, please. Eu tenho desse da foto, que eu prefiro por ter tampa. E custa menos de R$10 na Tok Stok.

P.S.: Hoje o André mora em Copa num apartamento lindo e que tem toalhas limpas!

Vivianne Pontes

do Site: http://www.decoeuracao.com/

De mudança!


Mudar é a coisas mais depressiva que existe para uma pessoa sozinha,quem irá carregar seus móveis? Além de você, e aqueles amigos que nunca aparecem no dia da mudança. O que aconteceu? Eles foram avisados antecipadamente da aterrorizante logística. Mas, sempre ocorre aquele compromisso inadíavel.

Nessas horas o desespero toma conta de suas possíveis ações futuras;

12685895_1

– Guardar tudo em caixas sem identificações, o que era da cozinha está agora na sala, o que era da sala está agora no banheiro.

– Mantimentos misturados com suas meias sujas em sacos pretos de lixo.

– CPU, monitor, teclado, cadê o mouse?

– Celular desligado durante dias, deveria piscar no visor “Carregador indisponível por falta de localização interna”.

– Miojo durante a semana, no jantar, no almoço, mo café… almoço, café, jantar.

– Baratas na casa nova???? Pois é, vieram nas caixas de sapatos, você nunca mais vai se livras delas.

– Só há espaço para seu colchão na hora de dormir, não para você!

– Como assim? A geladeira não passa na porta??

É nessa horas que você grita: EU QUERO MINHA MÃÃÃEEE!!!!

bjos

Vanessa